quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Viajar a "trabalho" :D

Continuando a nossa saga de viagensqueestãoporvir, vamos mudar um pouco a temática de perambular só por passeio e falar sobre alguém que vai viajar a trabalho. Tá, ta, to exagerando um pouco, mas vocês vão entender, paciência. Dessa vez quem coloca a mochila nas costas e parte rumo ao desconhecido é a Monique Tassar, mas na verdade a viagem dela não envolve mochila, nem curtir com os amigos, é mais mala no avião e EUA aquivoueu! Nossa querida companheira de sala aderiu a um programa chamado AU PAIR (que você já sabem muito bem como é!) e vai ficar longe das terras tupiniquins por um ano. - haja coragem hein .


A Monique decidiu ser uma Au Pair mais ou menos em julho desse ano, e quando colocou na cabeça que era isso mesmo que ela queria, foi só decidir o destino e preencher toda a papelada que precisa. Pra participar do programa é fundamental, como ela mesmo disse, saber cuidar de criança, ter aquele jeitinho paciente que toda criança precisaequer. Isso pra ela foi detalhe, já que experiência como tiapuxasacodasobrinhalinda ela tem de sobra. A partir disso foi super fácil (o mais fácil que eu já vi )! A futura jornalista ficou menos de dois meses esperando uma família a escolher - no programa, são as famílias que escolhem você, de acordo com uma ficha que você preenche, mas isso costuma demorar um tempo. Sortuda? Nem tanto.. Ela já tinha tudo que precisava pra uma boa Au Pair: falava inglês, tinha experiência com os pequeninos e não faltava vontade de viajar - Pronto, já tava tudo armado.


Quer saber a melhor parte? Não que tudo que eu falei não seja bom, mas além de ser escolhida em tempo Record, a Monique vai ficar na casa de uma família, ajudando a cuidar de dois filinhos (só pra constar um é neném, acabou de nascer! Pode falar que vai ser lindo isso!), aonde, aonde, aonde? Em Las Vegas! Pois é, não ta acreditando?? Na terra da perdição e dos jogos, das luzes e dos cassinos gigantes. Sorte ou azar? Pra ela, indiferente. Claro que ela já vai ter a oportunidade de conhecer Las Vegas todos os dias, mas o principal ponto do programa é ajudar na família, e nossa perambulante tem bem claro que o trabalho vem em primeiro lugar, então: primeiro trocar as fraldas e brincar com as crianças, depois, durante o fim de semana, aí tudo bem, porque ninguém é de ferro. (imagina as fotos que essa menina vai trazer? Babei já.)


Já que ela vai ficar um ano, o que mais essa menina planeja fazer por lá?? Vida de Au Pair não é a mais fácil, mas elas tem dias na semana livre, e no final do ano, um mês de férias! O que fazer em um país que você nunca foi tendo 30 dias pra ficar lá de bobeira? Viajar, é claro, e a Monique pretende conhecer Hollywood e ir a muitos shows (quem não quer, né?! pergunta besta!), além de dar uma passadinha básica na Disney (aiii, eu também quero), na Califórnia, Texas e Louisiana. Ufa, é lugar de mais, então disposição pra que te quero.


Como nossa amiga ta indo no comecinho de janeiro, e esse é o último mês dela por aqui por perto (melhor se concentrar em outra coisa), ela tirou o visto faz pouco tempo, e só foi preciso ir ao Rio de Janeiro e fazer aquele bla bla bla de sempre. Quer saber mais? Ela tem um blog sobre essa vida tumultuada de Au Pair, com várias dicas e detalhes  importantes que é bom saber. Dá uma olhada lá! E outra coisa importante é futucar bastante em blogs, orkut, twitter, de futuras participantes do programa, ou de gente que já foi. Quanto mais você souber, melhor.

Gostou desse programa? Já se viu cuidando de uns nenéns por lá? Tem Au Pair em outros países também, sabia?! Espia melhor e fica informada. Se você se animar, arruma as malas e vai experimentar também. Depois, conta pra a gente, é claro, e pode mandar dúvidas, reclamações e desabafos.

Vai viajar? Manda pra a gente também... Sua história pode estar aqui amanhã.. Quem sabe?!...




terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Vai pra onde?

Como o ano tá acabando e dezembro é mês de fazer promessa de mudanças, resolvemos primeiro mudar um pouco e sair dos trilhos de nossa costumeira rotina, pra depois pensar em prometer alguma coisa! Mudar é bom e preciso! Calma querido leitor... Não se desespere! A gente vai continuar falando de viagem, mas dessa vez falaremos de algumas em especial.. e especial por que?? Porque ainda não aconteceram, oras! Comoassim? Que que essa menina ta falando? Eu explico! Vamos abordar alguns lugares que ainda serão visitados por nossos amigos, então é mais a expectativa do que a experiência propriamente dita! Gostou da idéia? Vamoláentão que o que não faltam são histórias e gente que vai bater perna por ai em 2010! Primeira historia de quem, quem, quem? Ithon e Guilherme. Amigos de longa data que resolveram sair de férias perambulando pela América Latina. Também quero (me leva?)!

Quer coisa melhor do que sair no Natal e só voltar em final de janeiro? Pois é! Os meninos vão fazer isso (morra de inveja – porque eu sei que eu tô!), saindo daqui no dia que Papai Noel entrega os presentes e só voltam no último dia de janeiro! Por que isso? Bom porque os dois já foram para os EUA, fazendo Work, logo eles sabem o que é sair do país pra trabalhar mais do que pra fazer farra ( tudo bem que fazer work é super divertido e você já viu histórias aqui, mas fazer turismo só turistando mesmo tem seu valor, pode falar!), e agora decidiram inverter os papéis: “É hora de sair por ai só pra andar mesmo! Ir aonde temos vontade e pronto”. Foi assim que eles decidiram começar a pensar na rota. Fácil? Não não não, bem difícil na verdade! Um mês parece muito tempo, mas pra quem vai conhecer a Argentina, o Uruguai e o Chile de uma vez, é tempo de menos! Então corre e não perde nada!

Depois de alterar o roteiro várias vezes (porque o primeiro sempre fica gigante), eles decidiram fazer um roteiro mais ou menos estável! Oquequequerdizerisso?? Bom, quer dizer que algumas cidades tipo, Buenos Aires, Córdoba, Montevideo, Colônia, San Juan, Mendonza e Santiago já estão confirmadas, mas se um deles quiser sair um pouco da rota e visitar cidades vizinhas ta tudo bem (nem um pouco bobos eles!). Nada disso de viajar de chiclete sendo queeusóvousevocêfor! Liberdade é a palavra da vez, e o que ta valendo é aproveitar ao máximo os aproximados 30 dias!

Como ficar lá enquanto isso? Bom, eles têm a sorte de conhecer algumas pessoas (ter contato dá nisso, viu?!) e quando forem às cidades delas, já tem casa pra ficar! Eta vida boa! Quando isso não acontecer (porque eles também vão fazer novos amigos e não só visitar os já conhecidos, claro!) os albergues - e outras formas - estão ai pra isso! (cá entre nós, ficar em albergue é super ótimo pra quem quer conhecer mais gente também, é só saber qual escolher direitinho!). Destino traçado e lugar pra deitar arrumados, só falta entrar no avião e começar a treinar o espanhol!

A ansiedade é grande, mas só de saber que além de já ta pertinho, eles vão fazer altas coisas, já vale a pena! Tanto o Ithon, quando o Guilherme já mantém contato com pessoas das bandas de lá então já têm idéia de que a galera é simpática e só vai acrescentar na viagem! Qual a motivação que leva dois universitários a fazer isso? Fácil! Não tem nada que seja melhor do que conhecer a cultura de outros países, e os dois já sabem como é o ambiente da galera norte americana, e a viver comendo mc donald’s, então estava mais que na hora de pegar a mochila e ir pra lugares totalmente diferentes, e que ficam muito mais perto.

Último detalhe, e não menos importante (menos não, porque é na verdade tão importante, ou mais que os outros já ditos): saber com quem você ta indo. Pois é, não dá pra se jogar de cabeça numa viagem com alguém que você nem conhece direito, ou que as chances de brigar sejam grandes. Quando você ta de cara com outros lugares, pessoas e culturas, é essencial querer conhecer o que é novo, e ficar discutindo por bobeira só acaba com o clima da viagem. Perambular é bom, e todos nós gostamos, então pro roteiro (por mais flexível que ele seja)dar certo, tem que vir acompanhado de uma boa companhia e de disposição.

Tudo indica que os meninos estão cheios disso, então só nos resta desejar boa viagem, e que não se esqueçam do filtro solar e da escova de dente!

Gostou da idéia? Também quer escolher um amigo e comprar a passagem? Já seei, quer esperar e ver o próximo post, né?! Sabiiia.. Mas enquanto isso, olha aqui e aqui e aqui. Depois você se decide.

Até o próximo.

sábado, 28 de novembro de 2009

Nada de medo, sou pra frente, mesmo!


Era uma vez uma menina pacata que resolveu juntar tudo na mala e correr pra Argentina...
Ops! Essa história tá errada! A personagem de hoje foi, sim, para a Argentina, e o país dos hermanos está, também, dentro da nossa história de hoje. O que tá errado aqui é o destino, minha gente. O destino de hoje é o
Uruguay, aliás, o último, e você já conhece a perambuleira de hoje de outros carnavais, abram caminho para a nossa queridíssima amiga, Marcela Camporez. E aí, lembra dela?

 
Então, corrigindo: Era uma vez uma menina pacata que resolveu colocar umas roupas na bolsa e pegar um barco em Buenos Aires (sim, porque como você pôde ver, ela já estava por lá) rumo ao nosso destino da semana, o Uruguay - para ser exatíssima, Colonia del Sacramento e Montevideo! Para você não ficar perdido que nem cego em tiroteio nesse tanto de história, vamos lá. 


A Marcelinha, um lindo dia, resolveu passar alguns meses na Argentina, Buenos Aires para ser mais exata. Chegando lá, a menina, que já se considerava uma perambuleira de carteirinha por ter chegado, sozinha, num lugar a pelo menos 1000km de distância da sua casinha, resolveu que queria mais. Tátudobomtátudomuitobem, mas quem mandou alguém (que você já conhece também) chegar de uma perambulada por terras uruguaias fazendo propaganda gratuita em horário nobre na cabeça da menina? Pronto, ela já tava viajando, tava do lado do país em questão e, mais ainda, tinha tempo de sobra! Desculpa perfeita, não?



Sim! Como a Marcela não é de brincar em serviço, tratou que iaporqueia , so olhou preço de barco, documentação necessária e foi, tiau amiga, tiau amigo, to partindo peguei um barco e beijos!

Você deve estar admirado com a coragem e com a cara dessa menina, que numa semana resolveu que queria conhecer o Uruguay e, na outra, sem pestanejar, já estava pisando em terras de Colonia del Sacramento (porque primeiro ela passou por lá, e depois de se sentir em casa seguiu para Montevideo). Não vá pensando que foi fácil! A viajante de hoje chegou a pensar (pelo menos por alguns segundos) que podia ter feito uma besteira indo para um lugar totalmente desconhecido completamente só, tendo apenas si como companhia!

Mas não precisa conhecer o Uruguay e nunca ter passado por uma situação dessas para saber que esse sentimento de dúvida logo deixou o corpo (e mente) da nossa amiga, que estufou o peito e foi andar por Colonia, conhecer a cidade sobre duas rodas (de bicicleta, meu povo, que você aluga no albergue mesmo), comer chivito e tratar de se enturmar no albergue - segundo ela, tá todo mundo na mesma situação que você, então é a coisa mais fácil do mundo conhecer alguém e logo dar uma de bestfriendsforever, indo junto pros rocks, saindo pra dançar, e beber uma coisinha ali no bar, haha.

Outra coisa que a nossa amiguinha não esquece: andar de bicicleta na orla de Colonia, vendo as pessoas jogarem voley e ouvirem música brasileira! É para rir (e ver como esse mundo é pequeno, e você não tá tão longe de casa como pode imaginar). Mas, apesar do barulho das musicas brasileiras, a cidade é bem quieta e tranquila, silenciosa e com uma linda parte histórica!

Agora, partindo pra Montevidéo. Prestatenção porque essa parte da viagem serviu para a Marcela e também servirá para você. Sim, os uruguaios são MUITO simpáticos, prestativos, etcetc. que você já pode imaginar. Você realmente não fica perdido num lugar como esse, porque logologo vem um casal e te acompanha até o albergue (né Marcela?)!
Mais uma dica que reitera as outras aqui: em Montevidéo, não deixe de conhecer o mercado do porto com tudooquehádebom naquele lugar. Vá a praia, perambule pelos parques e pelas praças, e, não esqueça, conheça o Estadio Centenario! Se você ainda quer mais coisa, Montevidéo também tem história pra mostrar!

 E aí, empolgou? Empolgou e não tá nem aí se vai sozinho ou acompanhado, só quer saber que vai, vai e vai e prontoacabou? Então, não esquece antes de dar uma olhadinha por aqui sabe, e por ali, e por aquilo outro, que isso pode te ajudar. Se você prefere uma coisa menos joguei-me, tenta por aqui, e aqui, porque o que não falta é opção - AméricadoSultánamodaquetá.
Se as praias uruguaias (mesmo que de rio) não são, literalmente, a sua praia, dá uma esperadinha! A gente continua perambulanndo por aí e te apresentando os jeitos mais legais de viajar, uma hora você vai encontrar o seu destino dos sonhos, ideal pra-ca-sar, e ,aí, é você quem vai dar tchau!

Enquanto isso, não some não, aparece por aqui, e tchau! :)

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Turixtar duplamente no Uruguay? É pra já!

Pois então, pessoas, vamosvamos porque o tempo é curto e, apesar do país da vez ser um dos menores da América do Sul, ainda temos muita coisa para ver (e falar)! Se preparem que essa é mais uma historinha no pequeno notável país chamado Uruguay!

Primeiro de tudo, leia e inveje: a história de hoje é dupla! Não dupla como esta, mas simplesmente porque o sortudo Rafael Abreu andou lá por aquelas bandas, pura e simplesmente, duas vezes, e ainda pagando de turixta - sim, viajar com mãe, pai, irmã e tudomais, nada de mochilinhanascostasnãotônemaíei. Nessa brincadeira de perambular com papai e mamãe o menino conheceu nem mais e nem menos que quatro cidades, são elas: Montevideo, Maldonado, Punta del Este e Salto.




Começandodocomeço, vamos explicar: da primeira vez que o menino desembarcou por esse que é considerado um dos países economicamente mais desenvolvidos da América Latina (viu que tamanho não é documento?), ele estava com sua mãe e sua irmã, voltando de uns dias na Argentina (ui). O tour englobou todas as cidades citadas (Montevideo, Maldonado, Punta del Este e Salto) e não durou mais que 8 dias. Da segunda vez que a criatura sortuda de hoje caiu em terras uruguaias ele estava com seu pai e a viagem durou outros 5 dias, como percurso final de um cruzeiro (ui de novo) que ancorava por lá. Ele perambulou, dessa vez, por Montevideo e Punta del Este.

Deu pra sentir que se o menino não tivesse aproveitado essas viagens, ele não seria normal, não deu? Pois então, como o Rafael não é bobo nem nada, ele aproveitou, sim, e por isso vamos aos detalhes!

Vamos falar de planejamento? Peraí, que planejamento rapaz! Nossos aventureiros não gastaram muito do seu precioso tempo com o antes da viagem. Foi só olhar o calendário, fazer umas pesquisas na internet, reservar os hotéis e pronto, viagem mais que planejada! Viu, simples assim, invejou?

Bom, mas de verdadeverdadeira, o Rafael acabou confessando: apesar de duas viagens quase iguais, para ele, elas foram completamente diferentes! Isso porque quando embaixo da asa da mãe, o menino só tinha Argentina na cabeça, e foi com essa cabeça que ele passou pelo Uruguay (uma extensão da Argentina, oi?). Não condenem o coitado, meus queridos, mas o que você pensaria caso fosse para um país desse e só encontrasse Argentinos por lá? Isso mesmo, nada de povo uruguaio, sóepuramente Argentinos - vai dizer que você não ia pensar que nem ele?! Agora, quando a asa do pai entrou na jogada (ou não) é que ele percebeu que nãoeranadadissotá, e que o Uruguay tinha muita, mas muita coisa pra mostrar - e ele que não sabia nada daquele povo e lugar.


Como você não é o Abreu, e para você não ir achando que Uruguay e Argentina são tudo a mesma coisa, nós (perambuleiras e convidado de hoje) te damos todas as dicas agora, now, neste momento, e você não vai se sentir perdido e muito menos ter que voltar lá para entender o espírito da coisa uruguaia! Então, prestatenção que a coisa aqui é sinixtra, e quem perdeu, perdeu (brincadeira, acessa os arquivos que a gente vai a-do-rar).

Primeiro de tudo, se você vai para turixtar e quer gastar dinheiro, corra para Punta del Este, que é a cidade point do país (sim, o balneário mais famoso de lá). Badalação não é o que falta naquelas bandas, e se a "night" te agrada, corra: a uns dez minutos do centro da cidade tem "la barra", uma rua grandinha que concentra todo o rock (como dizem os capixabas), com barzinhos e boates de um lado e de outro, entre casarões e restaurantes. A parte chata disso tudo: lá é tudo muito caro e, apesar de belas praias, não chegam nem perto do que temos aqui no Brasil, sentiu, né?


Se você quer turixtar e até mesmo ficar de bobeira vendo só gente bonita, vá para Montevideo. A cidade, além de ser a maior e concentrar quase metade da população do país todo, é muito linda, organizada e segura (sim, considerada a cidade latino-americana com a maior qualidade de vida, além de estar entre as 30 cidades mais seguras do mundo). Para o nosso viajante de hoje, o povo de Montevideo, além de educado e supersuper simpático, é o povo mais bonito que ele já viu na América Latina (e olha que ele já viajou bastante por essas terras). Sabendo disso, não tem como não querer chegar lá correndo, ou querer ficar pra sempre! "Andar num lugar com gente bonita e educadas realmente é demais né? Tentação pra morar lá!" diz. Além disso, tem muita coisa pra fazer lá, nas palavras do próprio Rafael: recomendo você ter disposição de andar (apesar de táxi ser muito barato pra gente, até por questão de cotação de moedas), porque como a cidade é bem cuidada, é prazeroso ficar andando sem objetivo, rodando, caminhando por la rambla (uma avenida à beira mar, onde ficam embaixadas, sede do mercosul, etc.), que é muito legal. Seguindo por ela você vai até o Estádio Centenário (onde foi a primeira Copa do Mundo). É um passeio de uns 5km, mas que se estiver relaxado e sem pressa, você curte muito por causa da brisa do mar. Isso tudo sem esquecer a região do porto, do mercado central, as parrilladas (churrascadas) que são uma delícia, só para reiterar o que andaram dizendo por aí.

Mas aí você diz: não quero nada disso, quer ir para uma cidade pequena com cara de interior com povo muito receptivo, sem muita badalação mas legal pra conhecer a nativez, levando uma vida ligada ao couro, carne, mate e bois? Vá até Salto, que você acha tudo isso e sai sem reclamar!

Viu como o Uruguay mostra que tamanho, definitivamente, não é documento? Para encarar tudo isso tendo um tamanho desses, só com uma moral muito grande! Se no meio dessa semana você já ficou instigado a ir lá descobrir qual é o segredo para tanta coisa boa numa área tão pequena, não deixe de clicar aqui, aqui e aqui, além de dar uma pesquisadinha básica nos menus laterais, que tem muita coisa interessante!

Caso você ainda não esteja completamente convencido do poder do pequeno e notável Uruguay, aguenta aí que o próximo post ou te inspira de vez, ou te mostra que terras uruguais não são mesmo a sua praia, e partimos logo para outra!

Besos, hasta pronto, nos vemos, tchau!

sábado, 21 de novembro de 2009

Mochilar é bom e eu gosto!

A Europa pode, e tem, seu charme e elegância, mas resolvemos sair dessas bandas frias e voltar para a América Latina, visitando um dos menores países em extensão (segundo menor) da América do Sul, mas que tem uma riqueza cultural enorme! Já sabe qual? Ainda não? Ajudo mais um pouco... Foi lá que aconteceu a primeira edição da Copa do Mundo! Haaa, agora sim! Uruguai, lávamosnos! Quem resolveu perambular por essas bandas foi o futuro engenheiro Luiz Tauffer, que na minha humilde opinião, é um mochileiro de plantão.


Como as coisas começaram? Bom, pra entender isso temos que saber que no final de 2007 o Luiz teve a sorte de passar algumas semanas na Argentina com a namorada (você já ouviu falar sobre ela, lembra?!) e ao voltar pra casa ele não quis saber de outra coisa a não ser voltar para as terras portenhas, e quem sabe outros países mais! Bingo! O Uruguai entrou na lista, e depois de alguns meses planejando a viagem lá estava ele, em janeiro, visitando terras uruguaias. É importante ressaltar que nosso mochileiro estava fazendo essa viagem sozinho, alone, sin nadie. Corajoso, pode falar...

Para começar, durante sete dias ele visitou Colônia de Sacramento, Punta Del Este e a capital, Montevideo. Quem disse que não dá pra se organizar e conhecer muita coisa, hein?! Claro que dá! Quando ele pisou em terras desconhecidas, com gente falando outra língua e sem conhecer ninguém, o que ele fez? Entrou em desespero? Nããão... Além de ser uma pessoa calma, e ter na cabeça que ia aproveitar cada dia, o Luiz resolveu fazer aquela semana se tornar excelente! Se a primeira impressão é a que fica, os uruguaios fazem um ótimo trabalho, porque são a simpatia em pessoa! De acordo com o próprio Luiz é impossível você ficar perdido mais que 2 minutos, porque basta você abrir um mapa em qualquer parte da rua que vai aparecer alguém perguntando se você precisa de ajuda! Claro que é bom ficar esperto, mas a galera lá dá show de hospitalidade e educação! Já ficou com vontade de ir, fala sério!! Quer saber mais? Ta bom...

Punta Del Este deve ser visitada sim, mas não adianta ir com tanta sede ao pote! Lá é mais um lugar turístico do que outras coisas. As praias são bonitas, tem aquelas mãos enterradas na areia (mão do aofgado pra ser mais exata e que ele nem gostou tanto assim), mas o preço não é tão bonito de se ver assim. Com umas 4 horas você anda em grande parte da cidade, e ainda pode fazer um passeio legal pela Isla Gorriti (é a Ilha de Caras do Uruguai, e você paga em média 40 reais pra pegar o barco e passar o dia todo lá! Xique, hein) A capital Montevideo tem o famoso mercado do porto, que merece um almoço regado de muita carne, vários parques, o estádio de Futebol onde aconteceu a primeira Copa ( Estádio Centenário, que é super badalado até hoje). Andar pela cidade é altamente recomendado, porque só assim dá pra ir descobrindo vários lugares diferentes! Antes de ir embora, tem mais um lugar que deve estar destacado no seu mapinha! Colônia de Sacramento! É um dos lugares mais antigos do Uruguai e tem uma parte histórica muuito bacana, que merece muitas fotos! Além disso, a vila é super antiga, então tem ruas de paralelepípedo, e muitas praias (só pra destacar são praias de rio, mas não faça cara feia porque são ótimas também!). Comida? Chivito! Não esqueça esse nome na hora de fazer um lanche por aquele lado! Isso é nada mais nada menos do que um hambúrguer tradicional e muuito grande! Depois de andar bastante pra conhecer a cidade, alugar uma bicicleta (super comum nos albergues lá) pra andar na praia e ficar com bastante fome, nada melhor que um chivito.

Achou que o Uruguai nem tinha nada de muito interessante? Enganou-se caro leitor! Vale muito a pena se aventurar por aqueles lados e depois partir pra outros países (tudo na América Latina é mais ou menos perto, então se joga!). Quer saber mais sobre o Uruguai? Olha aqui, e aqui, e aqui... Dúvidas? Mande e-mail... Fica tímido não.. Até o próximo post, vendo mais coisas sobre o Uruguai! Não perde.

Hasta!

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Torre torta, cidade cheia d'agua, terra do Papa... Tá afim?

Rarrá! Mais um diazinho na Itália, meus queridos, é isso e nada mais que vocês tem. Pois então aproveitem, porque você ainda pode descobrir que esse pequeno país, cheiodecoisaboaebonita diga-se de passagem, pode ser o seu destino ideal pra viver feliz para todo sempre - ou pelo menos por alguns meseszinhos mesmo! 

 

Preste atenção, muita atenção, na historinha da nossa amiga Bruna Barbielini, que não foi buscar antepassados e muito menos estudar lá praquelas bandas, ela foi, pura e simplesmente, passear, meus amigos! Passear e ver um braço da familia que mora por lá! Gostou? Mas peraí que o negócio é melhor mais pra frente!

A Bru, na época, mais exatamente 2007, tinha uma tia morando por lá (não só tia, mas primas, primos e priminhasetcetal), tá, isso é um bom começo, mas a melhor parte é que "inesperadamente" como diz a nossa amiga perambuleira de hoje, essa sua querida membra da família resolveu chamá-la para ir passar uns tempos na Itália, mais especificamente em Bologna (ou Bolonha, para bons brasileiros), visitar seus entes queridos, junto com um ooutro primo que morava (e mora!) no Brasil.



Pois bem, convite feito, convite aceito, certo? Certo! Como a Bruna não é menina de esperar, ligou logo para uma agência de viagens (você pode olhar várias ali do ladinho viuviuviu), olhou a melhor data para ir, partir e pisar nas terras da torre de pisa, e tratou de marcar a viagem. Poucos dois meses de expectativa até chegarem as férias de julho e pronto, simples assim, uma viagem de 30 dias.


Você não vá pensando que só porque ia visitar os parentes a nossa coleguinha apressada aqui deixou de conhecer outros cantos da encantadora terra da massa. Foram tantos lugares que ela não saberia nem qual recomendar! Pisa, Florença, Lido de Pomposa, Roma, Veneza, Ferrara, Milão, Pianoro, Pádua... todas essas cidades receberam a sola do sapato da Bru e, segundo a mesma, todas são maravilhosamente maravilhosas para merecerem o seu interesse! Os lugares são lindos e, se você quer se sentir de volta ao passado, lá é o lugar certo, se você quer turistar, lá é o lugar certo, se você quer fazer compras, lá é o lugar certo! Deu pra entender, raciocinouaparadameufilho?


Castelos, igrejas, catedrais, monumentos, lojas chiques, pizzarias maravilhosas, sorveterias perfeitas, vinhos deliciosos, clima gostoso (a Bru desembarcou lá no verão), museu que não acaba mais... tudo isso ce vai achar lá! Gostou, né? A nossa amiguinha não esquece, e se perde em tanta coisa boa. Mas, para você não acabar tão perdido, lembremos que, a andarilha de hoje recomenda: o importante é conhecer os museus, igrejas, o coliseu, vaticano, fontana de trevi, uma praça muito linda em Roma... Em Florença há telas de Leonardo Da Vinci! Ah, vale muito a pena conhecer, Pisa é linda, Veneza também, Milão, aaah!


Tá bom, tá bom, já sabemos que você já ouviu isso aqui pelo menos duas vezes, mas como nunca, nunquinha na vida é demais reforçar as peculiaridades de um povo, a Bruna é mais uma que declara: os italianos são muito simpáticos e nada de grossos como a gente pensa! Adoram te ajudar e te tratar bem que só vendo! Então, meus queridos, podem tratar de ir perambular por aqueles lados que ninguém vai te ignorar ou te deixar no vácuo, como dizem por aí. Faz suas malinhas e se joga meu filho, porque se tá na chuva, vai se molhar, nénão?


Agora, só para te instigar, dá uma olhadinha por aqui, veja se isso aqui ou aculá te agrada porque, vai saber, né, amor a primeira vista acontece sem avisar e como é que vamos adivinhar se você acaba de ser fisgado por esse país comprido e que parece uma bota de cano longo?! Fala sério, tá esperando o que? Se declare, conta umdoistrêsejá, tiau pai, tiau mãe, tiau família, estou indo pra Itália! Se essa ideia meio revolts não é a sua cara, não tem problema, pode fazer uma coisinha mais organizadinha e tal, como aqui, e aqui etc etc


Ou então, sabe o que mais? Espera um pouquinho, daqui a pouco a gente chega no próximo país e, quem sabe, aí sim, você não cria coragem de se jogar completamente caminhandocontraoventosemlençoesemdocumento? Só pra ter uma dica, nos despedimos com um byebye bem europeu, porque nós somos muitos chiques.
 

Então, bye bye, e nos vemos na próxima parada!

sábado, 14 de novembro de 2009

E a Itália continua...

Achou que a Itália podia ser resumida em um post? Que alguns parágrafos eram suficiente? Pois é, o país não é muito grande mesmo em questão de kilômetros, mas por outro lado, o que ele tem de cultura pra oferecer naotanogibi! Sabe quem também resolveu perambular por aquelas bandas dessa vez? A Rafaela, e quer ouvir (no caso ler) o melhor de tudo? Ela foi pra Milão, Roma, Gênova, Veneza, Levico, Roncegno, Novaledo, Piacenza, Trento e Barni. Ufa! Tá achando de mais? Espera pra saber dos detalhes.

O lado bom de ter uma irmã vivendo fora do país, é poder visitar (a irmã e o país, claro) com mais facilidade (sem pagar hotel, melhor ainda)! Hum rum, é isso mesmo. A Rafaela tem uma irmã que mora pelas bandas da Itália há uns 10 anos, e arrumou a desculpa perfeita pra conhecer a terra da massa: “preciso visitar minha querida Irma!” Outro fator forte que levou a mocinha até o aeroporto? Ela tava no último ano da faculdade de Moda, e qual o lugar no mundo que mais entende do assunto?? Itália, Itália e Itália! Pronto, a primeira visita tava certa: visitar a irmã, sair do Brasil, e conhecer todo o glamour que ela era apaixonada e só via pelo cinema. Quer mais?


O primeiro, e único, mês por aquelas bandas foi inesquecível, e só adiantou pra aumentar a vontade de querer voltar! Um problema? Não, solução! A Rafa voltou pras terras tupiniquins e arrumou um marido descendente de italianos, que sempre quis descobrir de onde a família veio... Já juntou as peças, caro leitor??? Issso mesmo, eles fizeram planos por alguns poucos meses e resolveram partir juntos pra Itália novamente (novamente pra ela, e primeira vez pra ele). Segunda lua-de-mel, andando pela Europa, não tem como ser ruim, só excelente! É aconselhável planejar o que der, porque você pode ir ver neve, passar calor e visitar coisas bem diferentes, então planeje-se para fazer a viagem do jeito que você sempre sonhou.

Os italianos? Tem aquele jeito de falar só deles (com direito a mãozinha levantada e tudo), não comem pizza cheia de ketchup, maionese, mostarda e tudo aquilo mais que os brasileiros adooram colocar pra incrementar a pizza (ou tirar o sabor e só sentir os condimentos, ao invés do sabor da pizza mesmo), e são super simpáticos! O sistema de transporte funciona que é uma beleza! Tem plaquinhas com os destinos do ônibus em todos os pontos pra você não se perder (mas vale a pena andar com um mapinha básico da cidade que você está! Pode ajudar muito na hora de perambular, hein!). Outra coisa? Disposição! Não pode deixar esse item importantíssimo fora da mala... Apesar do transporte público ser muito bom, nada se compara a caminhar, vendo tudinho a pé! Lá tem uma coisa interessante pra ver em cada esquina, então, pernaspraquetequero, e que comece a caminhada!


Dicas? São tantos lugares que dá até pra se perder. Pega caderninho ai e vai anotando: Milão pode ser seu ponto de partida.. O transporte é ótimo, e chega em todos os cantos do país (até Roma são menos de 3 hrs, e os assentos no trem são super confortáveis... Vai perder?!). Enquanto estiver em Milão, vale a pena visitar museus, castelos e praças pela manhã, e sair pra balada a noite! O que mais? Tanto os ônibus, quanto metrô e bondinhos tem um bilhete válido por uma hora e durante esse período você pode andar o quanto quiser, e sabe pra onde você pode (deve) ir? Via Montenapoleone! Oquequeéisso? O lugar em que as mulheres vão achar tudodebom! Sim, queridas leitoras (e não desanimem leitores, que até vocês vão querer fazer umas comprinhas), lá é o berço das grandes marcas, e se você der sorte, pode até encontrar um famoso gastando um pouquinho...


Tá bom, já que falamos de compras e marcas, agora vale uma coisa pra encher os olhos dos homens... O que? Fácil! Os italianos, assim como os brasileiros, são loucos por futebol, e não perdem uma boa partida! Você também pode ir atrás, e visitar o estádio de San Siro, (butuca aqui também!) que além de levar seu nome no ingresso (eu sei que você vai guardar.. Eu também guardaria!), ter uma estrutura de dar inveja e ser um ícone em Milão, carrega grandes emoções durante diversas partidas, e se for Milan e Inter, só precisa correr pra lá e guardar a garganta pros gritos....

Saindo de Milão, direto pro Vaticano. A capital do catolicismo merece atenção especial. Pra entrar e conhecer, tem que estar de calça e ombros cobertos, nada de decotes e saias não, porque a vistoria é séria, e não adianta querer dar um jeitinho brasileiro... Anotado? Agora Veneza! Cidade conhecida pelo clima de romance e pelas famosas gôndolas, que ninguém pode deixar de experimentar... Não pode? Pois então, vai avisado: um passeio em um desses barquinhos xiquérrimos não é pra qualquer um não...O preço pode variar de 50, até 100 euros, então analisa os gastos antes de passear por lá, e outra coisa: você pode andar um pouco! É isso mesmo, lá tem locais específicos para se passar a pé, então você pode ir pela água e voltar com seus pezinhos mesmo! Boa idéia, hein...

Pensou em presente? Trazer pro Brasil uma recordação é sempre bom.. Então você pode optar pelas tradicionais mascaras de Carnaval, ou peças de decoração feitas em muramo (símbolo daquelas bandas!). Outro presente? Sorvete! É, mas ai é rpesente pra você aproveitar enquanto estiver por lá... O sorvete italiano é o mais famoso, e diz a Rafaela que é simplesmente maravilhoso! Perde não...

Não dá pra falar tudo! Tem lagos, (mais lagos) montanhas, vilas... Só indo lá pra conhecer com seus próprios olhos... Dá uma olhada aqui, e aqui e aqui e vai se animando.. Depois faz suas malas e vai perambular por terras italianas! Não tem erro ou arrependimento, só alegria... Vai lá, vai.. E depois conta como foi... A gente espera!

Até o próximo...

=D



quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Estudar na Itália? Também quero...


Como já dito no nosso último encontro, agora passaremos três divertidos posts na terra da massa, da pizza, da torre torta, das pessoas que falam com as mãozinhas fechadas e levantadas na altura do ombro... onde, onde, onde? Mama Mia, na Itália, é claro! Continuamos nossa saga por terras européias, mas com um povo totalmente diferente, e a história, mais diferente ainda. Hoje quem resolveu bater asinhas e voar de Vitória (ES) direto pra Roma foi a Mabelli Brioschi. O que ela foi fazer lá? Quando ela foi? ComoOndePorque? Paciência caro leitor, que essa história é boa e paciência é uma virtude!

A Mabelli é uma simpática estudante de arquitetura aqui na UFES e resolveu um belo dia, muito espertamente, se inscrever numa seleção de alunos que podem participar do convênio que a Universidade possui com outras Universidades, e nesse caso, a oportunidade era de passar um ano na Itália. Sonho? Pois é, até parece, mas nénãão! Vai vendo só... Sem nem saber os cinco sortudos que nasceram com a bunda virada para a lua (com o perdão do termo), eles já começaram a providenciar papéis e documentos, e esse processo todo, junto com o frio na barriga, durou cerca de três meses. “Fui escolhida. Não é filme de cinema americano! AIMEUDEUS”. A partir daí só tinha uma opção: se jogar rumo aos ares xiquérrimos da Europa!



Moleza, né não? Nem sempre! Dica um: veja todos seus documentos com antecedência (mas o máximo que você conseguir mesmo). Acredita que nossa viajante e seus amigos ficaram sabendo uma semana antes (siim, setediaszinhos) que houve um erro no visto deles, e eles precisavam enviar mais documentos e papéis e bla bla bla??... E agora, quem poderá nos defender? Pois é, não foi o Chapolin Colorado! Foi a insistência de ficar ligando e cobrando o Consulado, desesperadamentetáligado?! Até que em plena quinta-feira ( o voô saia daqui na segunda, morradeaflição) eles foram informados de que os documentos estavam prontos e esperando por eles no Rio de Janeiro! É, nem tudo é perfeito, então era melhor agradecer que tava tudo bem, e aproveitar as horinhas que já iam passar no Rio para correr no Consulado e pegar os tão sonhados documentos!

Ufa! Foi-se a correria, o extress brasileiro, os amigos, a família! Ciao Itália! (lembrando que isso quer dizer OI e não tchau mesmo :D)... O que fazer na terra da pizza? Primeira coisa, aproveitar a oportunidade de estudo! A galera capixaba vai ficar estudando um ano numa faculdade só de arquitetura (galera outro nível.. tem faculdade só pra isso, e detalhe: não é um tipo de arquitetura não, são vááários). Ta e eles vão estudar lá e pronto? Não querido e interessado leitor, as matérias valem como optativas na carga horária da faculdade daqui quando eles voltarem (não sabe o que é optativa? Não se desespere! São matérias extras que todo estudante tem que cumprir antes de se formar!) Depois de se encantar com as formas e cores e tamanhos de tudo (arquiteto deve ficar fissurado nessas coisas), tem a hora de fazer outras coisas... Tipo? Tipo andar e conhecer tudo que for possível... Ficar parado não ta com nada! (Aliás, ir pra outro país, e ficar no sofá, não são coisas de um bom perambulador!) Dica dois: bicicleta! Aparentemente a galera das bandas de lá gosta de andar em duas rodas, então se for possível, consiga uma pra você também (até porque, o trânsito de lá é igual ao de qualquer outra grande metrópole, ou seja: carro e carro e carro, um em cima do outro! Pedestre até tem vantagens, mas ter cuidado é sempre bom!).

Lado bom da história? Estar na Itália, obvio! Lado não tão bom? Pagar suas contas, já que a Universidade só financia seu estudo. Moradia e comida são por sua conta, (ainda assim vale muuuito a pena, nem pense duas vezes) e tudo é pago em euro! Outra dica? (muitas dicas hoje!) não fique com essa onda de quantos reais valem esse pãozinho? São 3 euros, logo 9 reais! Aimeudeus!” Tem que colocar na cabeça que ta na Europa, a moeda é essa e pronto! Não há o que fazer, só aproveitar sem pensar tantooo nos gastos (claro que tudo depende de quanto você dispõe pra gastar, então o ideal é usar sabendo se é necessário, e fazendo alguns mimos pessoais as vezes, afinal de contas, você ta em outro paííís, então merece!

Esse mito que os italianos são mau humorados e bravos é mito mesmo! Pessoal gente boa, que sempre está disposto a ajudar então Seja simpático você também! Além disso, você ta liberado pra ser fashion... Pois é pois é pois é... Vale combinar tudo que você tiver no guarda-roupa (com moderação e bom senso :D), porque lá, “mais é mais mesmo”, e arrasar em outros ares é tudodebom, tipo top model mesmo!

Viu só?! Ás vezes ta cheio de oportunidades perto da gente e a gente não sabe... Vale a pena buscar algumas informações sobre tudo que você tem por perto... Qualquer hora você descobre uma oportunidade de ouro, que nem essa, e vai viajar também! Dá uma olhada aqui, aqui e aqui pra is se animando... Animou? Então pega o exemplo da Mabelli, que ta estudando, conhecendo uma cultura totalmente diferente e se divertindo horrores, e vai! Pode até ser que no final das contas pareça aquela conclusão básica: nada é como minha casa, meus amigos e tudo que é meeu! Mas conhecer o que não é seu pode ser bem legal também, experimenta!

=D

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Madrid? Mestrado? MestradoemMadrid? Nóis!

Não precisa nem dizer que hoje é a nossa última parada hablando español, né? Como já foi dito aqui, continuamos e, ao mesmo tempo, nos despedimos dessa maravilha que é a Espanha (ou España, se preferir entrar de vez no clima), país com uma das maiores economias do mundo, tá achando que lá é poucacoisa?













Bom, voltando ao que interessa, hoje falaremos de uma história levemente parecida com a última contada aqui. Parecida sim, porque falamos aqui da história do Leandro Queiroz (se você estudou fotografia na Ufes até há um ano e meio atrás, sabe muito bem de quem eu to falando e já sacou do que eu to falando), mais um querido professor que foi desbravar o velhomundo em busca de estudarestudarestudar! Levemente porque o Leandro arrumou as malas e partiu para Madrid (para quem não sabe, capital da Espanha), não Barcelona, e querendo estudar fotografia - viuviuviu. Sentiu o drama?

Para quem não sentiu, vamos esclarecer as coisas: o Leandro já era formado em Publicidade e Propaganda, estudou Fotografia em Cuba por uns tempos e já deu muitas aulas por essas bandas de cá do ES... o que mais faltava? Fazer um Mestrado em Conceito e Criação em Fotografia, de preferência na Europa, numa das mais conceituadas escolas de foto de todas! - além de quebrar um galho sinistro disso tudo estar pertinho de outrosmil lugares que todo mundo sonha em conhecer! Simples, né?

Não, meus amigos, o fotógrafo aqui ficou um ano planejando a tal viagem, que previa ficar outro um ano na cidade que é denominada o centro financeiro e político da Península Ibérica (junto com Lisboa, claro) e, quando lá pousou viu que as coisas eram maravilhosas, belíssimas, de fazer inveja, mas que também existeproblemanessavida, rapaz!

Primeira coisa que pensou depois que se assentou e colocou os pezinhos no chão: o custo de vida, que lá é altíssimo, e que teria que ralar pra ficar os planejados 12 meses. Segunda coisa: ah, não, todos os filmes estrangeiros são dublados! A não ser que o nosso professor aqui tenha pego uma maré de azar, isso é a mais pura (e, digamos, decepcionante) verdade.

Agora tá bom de empecilho, né? Porque falar de coisa boa não faz mal a ninguém, vamos nós começar a falar por que Madrid pode ser o seu destino dos sonhos! Pra começardocomeço, nosso perambulador de hoje ressalta: a primeira impressão que tive de Madrid foi das melhores, a cidade tem um metrô muito vasto e competente, saí do aeroporto direto para o metrô e dali pra casa. Para quem não sabe, o sistema de metrô de Madrid é o segundo maior da europa, e a rede de transportes permite a você se locomover para onde for com rapidez, segurança e eficiência - goostou, hãm. Não se preocupe em usar o transporte publico na Europa, simplesmente se jogue, porque vale a pena (isso é uma vantagem muito grande porque ficar andando de táxi prali e praculá que ninguém merece, e nenhum bolso aguenta, né!).

Para quem quer mais do que perambular para lá e para cá de onibus, metrô e tudo mais, saibam que Madrid não só oferece como ir, mas onde ir. Sim, os madrilenos (e nem turistas de plantão) não podem reclamar: a cidade tem museus, teatros e centros culturais que não cabe mais. Entre eles, o Museo de la Reina Sofia e o Museo del Prado, dois dos maiores museus da Europa e que, para quem curte esse tipo de coisa, são um templo, com obras de artistas memoráveis. Entre eles, Pablo Picasso, do qual Leandro não deixa de esquecer: foi impressionante ver Guernica no Reina Sofia.

Se você gosta de uma coisa mais boêmia, ao chegar aqui tem que ir a um museu diferente, diz o professor da vez. O Museo del Jamón que é uma casa que vende presuntos e queijos e adivinha? Também é bar: onde se compra uma taça de vinho a 1 euro e ainda ganha uma tapa, petiscos, para quem não é veterano nessas bandas. Gostou, né?
Mas ainda, se você não quer saber de ficar gastando seu tempo com coisa que não vai falar lá no seu histórico da faculdade colocar umas horas extras, atividades complementares etcetcetc., Madrid tem, ainda, váárias faculdades, universidades publicas e cidades universitárias, ó só que delícia! Para ter uma noção, perto de um milhão de alunos (sendo que 600.000 estão em universidades públicas, 410.000 em privadas) cursam o ensino superior na cidade (região central e suburbio). Legal, não!? Olha algumas aqui, aqui também, mais um tico aqui...

Bem, acho que já deu para dar uma ideia do que você vai encontrar se quiser perambular lá na cidade do Real Madrid! Se você acha que deu sim e que não quer só ficar na leitura, quer ver, encostar e sair por aí hablando español como um nativo, mexa-se, rapaz! Dá uma butucadinha aqui, aqui, aqui, aqui e mais um tiquinhozinhoaqui!

Lembrando que outra e boa dica é, sempre sempre sempre, dar uma fuçada básica nas faculdades fora do país que a sua universidade possa ter parceria - todo ano abrem-se várias vagas em vários países! E, claro, quer um jeito barato de conseguir lugar pra ficar? Veja se algum doido aceita dar o sofá da casa dele pra você dormir! Vamolá, desanima não, o que não falta é opção procê dar uma perambulada praquelas bandas!

Ah, mas se a sua resposta é nãodeupraterideia simplesmente porque eu não quero ter ideia nenhuma esselugarnãoépramim, acalme-se, chegamos ao fim do tour pelo maior país da Peninsula Iberica e começamos a caminhar rumo a novos destinos, novos ares, novos caminhos que, por sinal, nem são tããããão novos assim, já que ainda ficaremos no mesmo continente, falando uma língua tão latina quanto o espanhol e do lado de um povo feliz, tão famoso pela sua fissura por massamassamassa!
Adivinhou?
Itália, minha gente! É para lá que partiremos hoje e, logo logo, chegaremos com novidades! Ciao!

domingo, 1 de novembro de 2009

Perambular por estudo? Também dá!


Continuando nossa saga pelas terras espanholas, temos algumas semelhanças e outras grandes diferenças entre o último post e esse. Semelhança? Além do destino da vez ser a Espanha (claro!), nosso viajante também foi pra Barcelona! (não desanime) Diferença? Todas possíveis, desde o tempo na cidade e o motivo da ida (viu, viu, viu?!)... Deixando de explicações e partindo pra ação, quem estava em terras catalãs é ninguém mais ninguém menos que Felipe Tessarolo (você pode até não conhecer, mas essa digníssima – e querida - pessoa é o professor da nossa matéria do blog! Coincidência engraçada, não?! – deu a idéia de criarmos nossa página virtual, agora tem que participar ativamente!)


Pra começar, o Felipe morava em Portugal há mais de dois anos e meio, fazendo Mestrado em Direção de Design, (quem pode, pode né?! Já formado em Publicidade e Propaganda, merecia complementar seu diploma com um curso estrangeiro) e foi conhecer Barcelona durante um feriado super famoso lá, o de Mercê – padroeira da cidade. - espia aqui e aqui e aqui - De acordo com ele, a atmosfera da cidade durante a festividade é completamente diferente e mágica. São milhares de pessoas indo as ruas, fantasiadas ou não, fazendo uma mistura de era medieval e carnaval carioca! (Imagina isso que tudodelindo!) Depois desse feriado as coisas não voltaram a ser as mesmas na vida de nosso profesor aventureiro... Na mesma hora ele já voltou pra terradobacalhau sabendo que ia se mudar pra Espanha, era só uma questão de tempo. Sente a lógica: “o curso de mestrado aqui acabou, eu tenho um ano pra entregar minha tese... Barcelona é tipo um templo da publicidade na Europa... Porque não fazer outro curso de mais ou menos um ano de duração lá, sendo minha tese?” ÓH brilhante idéia!




Depois de um mês até fazer as contas dos gastos e dar tchau a Portugal, Felipe foi-se pra terra que durante muitos anos também era o abrigo de Ronaldinho Gaucho (informação valiosa essa) e ficou lá por 11 meses! Diz ele que a cidade é ótima, e perambular por aquelas bandas é super válido, mas se der pra visitar durante a Mercê, melhor ainda! Você não vai se arrepender... Como são os espanhóis? Pois bem, são um pouco rudes, porém muito educados e vivem numa grande torre de babel, sempre cheios de turistas (aproveita e entra pra essa estatística!), e isso pode até ser meio chatinho quando você se torna morador! Todo dia e hora tem ônibus repletos de turistas tirando foto e fazendo aquela cena que turista adora! (quem não gosta?!)

Além do carnaval fora de época, vale a pena aderir ao skate ou bicicleta pra conhecer todos os cantos da cidade, e além do mais, lá tem uma das maiores ciclovias da Europa e é conhecida como a capital do Skate. Radical, hein! Agora, quer saber o que não é bom levar daqui do Brasil? O nosso famoso jeitinhobasileiro... Furar fila? Nem pense nisso... Andar com latinha de cerveja na mão enquanto anda pelas ruas? Muito menos... Nem tente dar uma de espertinho porque sua viagem pode acabar antes do tempo... Pra perambular bem, tem que perambular direitinho, respeitando as regras de cada país (ops, olha a regranumeroum aqui de novo)!

Última coisa: já que você ta na Espanha, lembra de conhecer outros países da Europa. São bem perto e já que você ta lá, não custa nada bater mais perna, né?! Viu que dá pra ir perambular sem ser a passeio? Pois é... Dá pra estudar fora também, e além de voltar com um diploma estrangeiro, você trás na mala uma vivência única! Gostou, né?! Sabiia...olha aqui e aqui e aqui e aqui também!

Chega de falar de Barcelona...só olha aqui rapidinho.. Já deu pra você ficar encantado e ir também (eu sei que eu queroprecisoirevou). Vamos?? Até o próximo, e último, post hablando español...

Hasta !

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Hola, ¿cómo estás?


primeira história dessa semana, dando continuação a língua espanhola (hola!), é a da Bárbara Marchiori. Sim sim caro leitor e leitora, não é coincidência não, a Bárbara tem sim parentesco com o Guilherme, que já apareceu aqui. São irmãos! Então chega de apresentações e vamos logo contar essa aventura.

Nossa amiga foi pra Espanha, mais precisamente Barcelona. Eoqueelaqueriafazer? Treinar o espanhol ué, coisa que há muito não fazia e para isso, nada melhor do que fazerasmalasagoraepartir. Tá, mas... de quem foi a idéia? Ela simplesmente  tiroudosovacodissequeia e foi? Não, não! Aqui nós vemos mais uma semelhança com a história de seu irmão: a ideia foi de sua mãe, lá no ensino médio, mas ela só viajou mesmo quando ingressou na faculdade.
Seis meses, mais ou menos, foi esse tempo todo que a Bárbara levou pra planejar tudo, em troca de estudar 1 mês lá na terra do oolé (e tudo quanto é viagem requer planejamento e disposição pra correr atrás de informações né?).

Olha, a Bárbara não quer escolher uma coisa pra indicar, porque, como diz a moça, Barcelona tem muuuita coisa pra fazer. E foi por isso mesmo a  chegou lá e já foiassimachandotudoomáximo (quem disse que dá tempo de pensar em casa meu Deus?). Uma coisa que facilitou tudo: ela foi super bem recebida pelos intercambistas que estavam na residência da escola que ela estudou (ela ficou em alojamento estudantil, viu? o que é bem comum lá praquelas bandas, ó aquii).

Mas peraíperaí, no fim de tudo essa mocinha não achou a coisa toda legal como no início não. Ela viu que tem gente mal educada em todo o mundo e pra isso não tem jeito mesmo, o que a deixou meio triste (mas, pensando bem, aí é que tá a graça de saber das coisas boas e ruins, a vontade de ir lá você mesmo e ver se é desse jeito que a Babi contou).




Seliganadica: A cidade é maravilhosa e você só precisa se planejar bem quando chegar lá pra conhecer tudoemaisumpouco. Ande, ande e ande a pé! Você vai encontrar desde museus como esse aqui, esse e mais esse até casas noturnas pra badalar a vontade.


Agora quer uma dicademelhoramiga? Essa é de nativo: evite sair pra conhecer a cidade entre as 14:00 e as 16:00, pois muitos lugares fecham nesse tempinho por conta da famosa "siesta" (no que eu no seu lugar também tiraria uma pestana em casa e sairia depois, prontinha pra andar até cansar).

Bom, o básico de você já sabe, porque contamos timtimportimtim do que a nossa amiga nos revelou. Tem mileumamaneiras de você acabar lá no velhomundo, quer trabalhar e estudar tudojunto? Começa dando uma olhadinha aqui, e uma espiadinha ali... Quer só estudar que nem fez a Babi? Olha isso, isso e mais isso! Viu? E é só o começo meus filhos...

Eentão, se isso é o suficiente para despertar aqueeeela vontade, caham, ou melhor, necessidade de ir lá provar do mel dos espanhóis com o seu próprio dedo, aah, aí já é contigo né!
Mas vem cá, conta só pra gente vai. Tá indo quando pra lá? Se der tempo antes de embarcar, manda um email contando pra gente como estão os preparativos ou deixa um comentário? Obrigada viu, sabia que você era uma pessoa bacana!

Aliás, se você precisar da nossa ajuda, conteconoscorapaz! Como falar com a gente, não preciso repetir, porque você sabe!

Beijos e até a próxima!

domingo, 25 de outubro de 2009

Frio e neve... Sol e praia... isso é Argentina, che!

 
Pra terminar a nossa saga pela Argentina, nada melhor do que alguém com sangue azulebranco correndo pelas veias pra contar sua história. Sim queridos leitores, quem perambula hoje nestas páginas virtuais é nossa amiga Adriana Dieuzeide (que já apareceu na primeira história Porteña, como a amiga que tinha parentes nas terras do Maradona!), e dessa vez ela mesmo nos prestigiou com relatos de uma cidade bem diferente das outras que falamos: Bariloche!


Verão lembra o que? Calor, sol, praia... É, pode até ser, mas nesse caso, em pleno verão argentino (janeiro de 2007 para sermos mais exatos), a Dri (siim, é assim que ela costuma ser chamada) e sua família (super linda) resolveu escapulir do mormaço Chacabuquence (cidade do interior argentino, que fica para outro post - mas mata a curiosidade aqui) e explorar o frio de Bariloche. Não ta entendendo o que a Adriana ta fazendo no interior da Argentina né?! Desculpa, deixe-me explicar superultra rápido: Nossa aventureira da vez tem a sorte de ter uma mãe estrangeira (no caso entendam argentina), e conseqüentemente avós, tios, primos e afins vivendo no nosso país vizinho, o que quer dizer “Chegou férias? Yes, vamos pra Argentina!”... (vamos combinar que isso deve ser bomdemaisdaconta, mas você pode ir de outro jeito - tipo assim - ou assim...)...


Tá melhor agora? Pois bem, vamos começar a viagem... Família de férias na casa dos avós e de repente surge a idéia de viajar.. Para onde? Pensando, pensando, pensando e uma tia dá a idéia: Bariloche, claro... (os pais da Dri fizeram a lua de mel lá, e sempre quiseram voltar... loogo, voltar com os filhos, melhor ainda! - ohhn que romântico!) A cidade é totalmente o oposto dos ambientes já detalhados por nós anteriormente! Lá tem montanha de verdade, com gelo no topo o ano todo (fala sério que deve ser lindo), e tem até aqueles brinquedinhos de descer escorregando de bunda na neve, e teleférico pra ver de pertinho os flocos que a gente ta acostumado de ver por filme! Tem parques, comidas (olha essa  - e olha aqui também!), lagos, e tudo parece coisa de filme... Imagina aquelas paisagens enormes e frias que você precisa de tênis, casacosemaiscasacos, gorro e chocolate quente...pra sobreviver (confessa que você não pensava que achava uns trem desses aqui, tão pertinho!) - esqueça a vontade de ficar na cama, porque tem muitas coisas pra conhecer! Pernaspraquetequero!

Uma semana de preparo (pegando roupas de frio emprestadas com todas as primas que podiam ajudar, já que não estava no programa familiar enfrentar o frio durantes as férias) foi o suficiente pra uma semana de descanso, sendo preciso somente alguns bons cd’s no carro pra distração (já que até chegar ao paraíso gelado, é quase um dia de viagem saindo de Buenos Aires, mas nada que não seja gratificante quando você ta lá! Então não desanime - espia só!)...

Já que estamos terminando de falar desse país com uma quase-argentina, vamos sair rapidinho do gelo para o verão de verdade que os brasileiros conhecem: a praia! (lembrando que nossa friend tá naqueles lados quase sempre, ela pode falar de vááários lugares, então vamos aproveitar!) Sim, os argentinos também curtem um banho de mar, e a Dri não perdeu a oportunidade quando um tio a convidou pra passar 5 dias relaxando à brisa do oceano... Lugar da vez: Pinamar (a praia que mais bomba por aquelas bandas).. Se interessou?? Pois é, vale a pena conferir, mas já vai avisado que não é a mesma praia do nosso litoral verde e amarelo! Pra começar, tem sombrinha e cadeira pra tudo quanto é lado, e a praia parece projetada pros veranistas, que lotam a areia (e ficam de 10 da manhã às 6 da tarde, então não esqueça seu protetor solar e a disposição). Deu fome? Come um churros... Achou engraçado? Não foi piada não, a galera lá come churros enquanto toma banho de sol e acha super normal... (vento + areia + churros não deveria ser o ideal, mas com doce de leite argentino tudo fica perfeito)... Se tiver nessa praia, vale a pena dar uma chegadinha aqui - e não se esqueça de amarrar bem o bikini se for mulher, porque o mar argentino tem fama de não ser tão manso assim...

Pra ajudar, segue por aqui e aqui e aqui...



Depois de tanta coisa sobre nossos rivais futebolísticos, ta na hora de parar de bobeira, correr, e comprar uma passagem pra visitar “lãs terras argentinas“...Fica esperando não, vai perambular um pouco pra ter história pra contar também! Tem coisa melhor que isso??

Mais coisa pra falar sobre a argentina? Gostou, não gostou? Manifeste-se.. Manda um email, deixa recado, faz um sinal de fumaça.. Você escolhe! E a pergunta que fica no ar... Qual o próximo destino?
Fica acompanhando que já já você descobre :D

Hasta Pronto!

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Matando dois (vários) coelhos de um grito só: Cóórdoba!

Hola personas! Como as senhoritas e os senhoritos bem sabem, estamos beem no meio da semana dedicada à terra dos pampas, do mate e dos alfajores - não confunda com outro país, por favor, aqui falamos do país dos hermanitos argentinos! :D

Então, saindo do lerolero e indo ao que interessa, vou dizer qualédiqualé a de hoje: a história da vez é a do Guilherme Debone (por favor não confunda com aquele que foi para os EUA - esse aqui também foi, mas isso fica pra depois, calmalá), e ela é bem interessante, prestatenção. No início do ano ele foi passar oito dias em Córdoba, só perambular mesmo, passearaproveitarlek, haha! Mascomofoiissodeondeletirouessaideia? Aqui que tá, primeira coisa de tudo que você precisa saber: no final do ano passado, ele fez work pros EUA (que vocês bem conhecem, já falamos aqui ó), e, como não podia deixar de ser, conheceu muchos hermanos por lá, que estavam na mesma situação que ele - e como uma coisa leva a outra, nofimdascontas, ficaram amigos. Pois então, acho que posso continuar, vumbora.



Aqui vai. Um belo dia, o menino descobre que sua mãe tinha passagem de ida e volta praqualquerlugar da América Latina - e depois dizem que as mães não são santas, hoho - e que, se alguém não fizesse alguma coisa (e bem rápido), não adiantava nem chorar o leite derrado, era tiau passagens! Pronto, tinha chegado a desculpa que faltava pra ir caçar esses amigos que ele tinha feito em terras gringas - a escolha não foi imediata, já que outro amigo do Guilherme morava no nordeste do Brasil, mas a decisão de viajar, rá! Tenhocasacomida(dos amigos)passagempaga e um feriado na minha frente (louvemos a mania brasileira de feriados), que mais que falta, meu Deus? Acho que foi essa a pergunta que passou pelas caraminholas do nosso amigo, que nem esperou que respondesse a ele mesmo e foi juntar as trouxas pra partir rumo ao seu encontro com seus novos velhos amigos.

Bom, okay, agora você já sabe o que enfiou essa idéia na cabeça dele até ele ir. Comé que foi quando ele chegou lá?

Como já dissemos - e esperamos que você se lembre porfavor, ele tinha amigos lá naqueles lados, logo, tinha lugar pra ficar e toda assistência do mundo - aqui falamos de turistica, linguistica sejaláqualfor, porque amigo é pra essas coisas, nénão? Isso quer dizer que seria difícil que alguma coisa fosse ruim nessa viagem, algo que não fosse a despedida, pelo menos. De qualquer forma, ele teve oportunidade não só de "turistar", ou rever amigos: arranhar um espanhol (ou quem sabe se virar no inglês), e ter contato com uma cultura diferente (mesmo que por pouco tempo, digamos) foram (e são) tão válidos quanto, aliás, validíssimos - cultura essa que, apesar de estranha em alguns aspectos, era mais normal para ele que já tinha convivido alguns meses com argentinos, mesmo que não fosse na argentina.


Mas vamosfalar, quando se está em um país que não é o seu, tupiniquim, não importa o quanto ache seu povo normal ou o conheça, sempre vai haver o que descobrir de diferente, sempre vai haver algo que te impressione ou te faça pensar "no Brasil não tem isso", ou, "que diferente, meuDeus", e com o Guilherme não foi tão diferente assim. Segundo ele, Córdoba é bastante acolhedora, e as pessoas de lá então, nossasinhora, são extremamente receptivas e dispostas a te dar atenção! - aqui ele argumenta dizendo que, apesar de ser a segunda principal cidade do país, cordoba não é como as outras cidades grandes: nada de prédios muito altos, e, por favor, muita história (história mesmo) sustentam essas paredes que nos rodeiam, falou? (repare nisso nas fotos!)

Se você não é daqueles sentimentais, românticos, que acham que viagem boa se resume a conhecer gente boa, muitas coisas que não materiais, essa história de ares leves, pessoas carismáticasetudomais, a cidade da qual falamos tem, também, altas chances de te conquistar de vez com seu charme gastronômico, universitário, artísticocultural (aqui materialmente falando), edetodootipo - é bom aqui deixar claro quenemáguacristalina que não estamos tirando a importância das pessoas e tudo mais, isso é imprecindível, né? mas se você não se contenta SÓ com isso meu amigo... vamos voltar a Córdoba! Lá você, com certeza, vai encontrar o que te agrade, bem, o Guilherme encontrou várias e lembra: a cidade é cheia de pontos turísticos pra quem quer perambular, a arquitetura da cidade é fantástica (a cidade tem a Universidade mais antiga do país, a UNC e sabia que a casa do Che Guevara é lá?), a cidade é serrana, segundo ele, suas serras são incríveis, como Los Gigantes (saiba o que é aqui), e pra quem quer provar, degustar e dar um passeio pelos comesebebes, ele recomenda: tomar um mate argentino, comer galletitas, um assado de carneiro... tomar fernet com coca, alfajores, bombas de chocolate são coisas imprecindíveis - os fãs de chocolate fiquem sabendo que a santa fabrica da santa Arcor fica por lá.

Por último, o nosso viajante dá a deixa: arrume, pelo menos uma vez na vida, uma paixão argentina.

Entãão, eaí, colédicolé, tá afim? Vai juntar as malinhas o mais rápido possível e correr pra seguir o exemplo, e essas preciosas dicas, do nosso amigo Guilherme? Acha que você nasceu pra Córdoba e Córdoba só existe pra você? Relaxa porque, hoje, viajar pra América Latina é muito mais fácil do que você pode pensar rapaz, só dar uma pesquisada, uma olhada aqui, ali e aculá, que você perambula em terras porteñas com facilidade (e mesmo assim, essas não são as únicas opções, são muitas, incluindo e de se aventurarporaí, só sejogartaligado. Ah, outra dica: se você estuda em alguma Universidade Federal, procure sobre as universidades estrangeiras que a sua tenha convênio, quem sabe você não faz um período em córdoba, buenos aires...)! Mas fechando o assunto, rolou mesmo um sentimento? Se ainda não é a sua vez, não se desespere, ainda vem muita, mas muita coisa aí pela frente - e um dia, você encontrará seu destino alma gêmea, e serão felizes para sempre!

É isso, tiau e até o próximo (e último) post com los hermanos!